Old

1 de março de 2013

Paz






























Deitei a minha cabeça no teu colo, mãe
Dedos frios percorriam a minha testa
Amor, amor, amor
Um carinho materno, uma festa
Senti-me tão protegida.

Fechei os meus olhos
Deixei a mente divagar
suavemente
nenhuma de nós quis falar
tão bom era o silêncio.

Na minha cabeça, uma escadaria
Cada degrau fácil de subir
No topo, uma porta
Foi como se estivesse a dormir
Aconchegada num sonho

Rodei a maçaneta, espreitei
Vi uma sala imaculada
Mais branca que o branco
Uma sala descalçada
Da confusão, do barulho.

Disseste-me que era seguro
E eu entrei. Devagarinho.
Porém não senti o solo
Tive medo. Foi um redemoinho
Mas passou.

Nada estava ao meu alcance
Os meus pés nus não pisavam
Nem longe, nem perto
Simplesmente ali estavam
Como um nada, um vazio.

Mas não me senti confusa.
Senti-me calma.
Foi como se o teu toque
alcançasse a minha alma
A paz de espírito.

Sem comentários:

Enviar um comentário